As plataformas sociais vêm evoluindo e abrindo espaços para diferentes atuações das marcas. Toda vez que uma nova ferramenta é lançada e com ela trás um universo de novas possibilidades e oportunidades para atingir os consumidores, mostrando que existem diversas formas de dialogar sobre seus produtos. 

Os inventores dessas tecnologias acompanham as mudanças no comportamento dos usuários e encontram caminhos para se fazer uma ativação.

Mesmo assim, alguns gestores ainda operam de forma obsoleta, gerando retornos muito baixos. Pensando nisso, vamos falar sobre sete caminhos que sua empresa pode seguir para gerar valor com as redes sociais.

1. Invista em plataformas de nicho

Apesar do Facebook e Instagram serem redes sociais com expressão e audiência, as plataformas de nicho começam a ganhar relevância entre as comunidades com interesses específicos. Isso está relacionado ao poder que os usuários vêm aquirindo, consumindo conteúdo relacionado com os seus interesses e preferências. Ao invés de investir a esmo, em uma grande rede social, direcionar o orçamento para onde as pessoas de fato estão engajadas pode aumentar a eficiência no retorno.

Um dos potenciais dessas plataformas é a possibilidade de fazer grupos de relacionamentos, onde os usuários podem interagir com seus amigos ou membros da equipe, o que aumenta o engajamento.

2. Invista em realidade virtual e/ou aumentada

As tecnologias de realidade virtual e realidade aumentada estão abandonando a posição inalcançável que ocupavam com a chegada de novas ferramentas a preços mais acessíveis é uma boa estratégia investir, utilizando vídeos em 360 graus, por exemplo, que podem passar ao consumidor uma visão diferenciada de um produto ou serviço.

3. Seja mais informal

O diálogo “estilo vida real” vem conquistando a atenção dos seguidores. O storytelling informal surge como uma tendência para 2017, principalmente em redes como Snapchat, Facebook Live e Instagram Stories. Esse é um caminho para criar uma ligação mais direta com o público, ainda que menos editado como algumas empresas estão acostumadas a fazer. Ainda que seja menos polido, é um dos recursos que mais vem atraindo audiência e é uma ótima forma de se construir relacionamento com os clientes.

4. Abuse de vídeos

A criação do Facebook Live e o lançamento dos anúncios verticais de vídeo são sinais de que o stream está cada vez mais em alta. O sucesso que essas ferramentas vêm apresentando, em termos de popularidade e número de utilizadores, mostra que as marcas devem dedicar uma parte do tempo a esse tipo de ação. O Youtube aparece também com grande potencial de crescimento para diversos segmentos do mercado.

5. Explore os GIF’s

Após o WhatsApp e Facebook liberarem o recurso de GIFs, esse tipo de animação se tornou um caminho para novos conteúdos. As mensagens personalizadas com este tipo de mídia estarão cada vez mais presentes e exigem um esforço por parte das agências, de fazerem algo inovador que inclua o nome da marca ou mesmo frames de uma campanha publicitária que possa se tornar viral. Os variados tipos de linguagem que podem ser explorados são outra oportunidade para engajamento.

6. Instagram: o queridinho

O Instagram, em um futuro não muito distante será a plataforma mais eficaz para as marcas. A rede social vem unindo diversas tendências em um único espaço. O caso do Stories, por exemplo, mostrou como é possível frear o crescimento de outra rede social que era destaque – Snapchat. Ao mesmo tempo, a publicação das fotos na timeline continua sendo atrativa e mesmo os anúncios patrocinados, não são algo que vem incomodando os usuários. O desafio aqui é ser cada vez mais criativo e explorar as possibilidades de cada área para aumentar as vendas ou relacionamento com cliente.

7. Ofereça conteúdos inspiradores

Uma das tendências para 2017 é a busca de conteúdo que acalmem o dia. Isso é reflexo de um período conturbado que o mundo vem vivendo, com crises econômicas, violência e crescimento urbano ou com pessoas que vivem sozinhas. Um dos exemplos apresentados é a crescente popularidade de vídeos de ruído branco (white noise) publicados no YouTube. Tendo em conta esta tendência, as marcas devem investir em experiências de alta qualidade sem juntar-se ao burburinho da internet. Em tempos de discursos de ódio, aquele que produzir algo mais zen, ganhará atenção.